Aumento: gasolina é vendida a quase R$ 4
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 14-11-2017

De 1º de novembro até segunda-feira, o reajuste total da gasolina chegou a 7,9%. A informação é do assessor jurídico do Sindópolis (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis e Região Sul), Ciro Branco. Este é o quinto reajuste do mês.

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com aumento de 1,20% no preço da gasolina nas refinarias e queda de 0,20% no preço do diesel. Os novos valores valem a partir desta terça-feira.

Segundo Ciro, na realidade, o reajuste ocorre diariamente. “Mas os revendedores repassam ao consumidor o aumento semanalmente. Do dia 1º até hoje (segunda-feira) foram 7,9% de reajuste”, explica Ciro.

Nas bombas de Tubarão e região, o preço chega a quase R$ 4. “É um absurdo a gasolina estar nesse preço. Aqui, antes do quarto reajuste, estava R$ 3,69. Depois, chegou a R$ 3,89. Se continuar assim, como vai ser até o fim do ano?”, indaga Tânia Mara, moradora de Capivari de Baixo.

Ciro explica que, com esse reajuste, os revendedores estão comprando o combustível a R$ 3,70. “Antes estavam pagando R$ 3,42, em média. Os aumentos são diários e os revendedores escolhem uma data para repassar aos consumidores tudo de uma só vez. Ninguém sabe como vai ficar o preço até o fim do ano, até porque qualquer motivo em nível mundial reflete no preço do barril do petróleo e, naturalmente, a refinaria vai repassar o aumento. Isso é o que diz a política das refinarias”, aponta.

Ele ainda acrescenta que, em Florianópolis, o maior preço da gasolina está em R$ 4,09. “Aqui, o preço médio é de R$ 4,03”.


Nova política de revisão de preços

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.



Veja Também
Bebê continua na UTI

Segue grave o estado de saúde da bebê de dois meses que sofreu afundamento de crânio após ser agredida. A menina de Capivari de Baixo está internada desde a última terça-feira na UTI do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. O pai da criança, suspeito de cometer as agressões, teve a prisão preventiva decretada.

Até esta sexta-feira, segundo a assessoria do hospital, o quadro clínico da bebê permanecia sem grandes alterações. Ela já foi submetida a uma cirurgia e continua recebendo tratamento intensivo.

A criança chegou à unidade junto aos pais e, após o atendimento, os médicos atestaram que ela tinha afundamento de crânio e hematomas. A polícia e o conselho tutelar foram acionados, sob a suspeita de que a criança tivesse sido agredida. 

Em conversa com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, o homem de 25 anos, pai da criança, foi acusado pela mãe de ser o responsável pelas agressões. Como motivação está a desconfiança de que a bebê não fosse filha biológica dele, pois o casal é negro, e a menina, branca. 

O pai segue no Presídio Regional de Tubarão. Já a mãe foi ouvida e liberada. Ela será investigada por omissão. À polícia, a mulher afirmou que era ameaçada e agredida pelo marido e que, por isso, não havia o denunciado antes.

Polícia apreende R$ 940 em notas falsas em carro

Uma denúncia à polícia resultou na apreensão de R$ 940 em notas falsas, na noite desta quinta-feira, em Laguna. A quantia foi encontrada dentro de um carro, próximo ao trevo que dá acesso à cidade. Quatro pessoas que estavam no veículo foram levadas à delegacia, mas acabaram liberadas.

De acordo com o delegado Bruno Fernandes, que atendeu a ocorrência, um adolescente assumiu a posse das notas e declarou ter encontrado as cédulas na rua. A quantia estava dividida em cinco notas de R$ 100, seis notas de R$ 50 e sete de R$ 20. 

“Como o adolescente assumiu, e como não houve a prática de estelionato comprovada, todos os envolvidos acabaram sendo liberados”, explicou o delegado. Ainda segundo ele, a procedência das notas será investigada pela Polícia Federal, que é o órgão responsável em ocorrências de falsificação de moedas.


A apreensão foi feita pela Polícia Militar (PM), após a denúncia de que um homem teria usado uma nota falsa de R$ 50 para tentar comprar bebida em um bar da comunidade de Bananal. Os policiais também receberam a informação de que o homem deixou o estabelecimento e embarcou em um veículo Uno branco, onde estavam outros três homens.

Os policiais conseguiram identificar e abordar o veículo pouco depois, apreendendo as notas falsas. O carro estava com o licenciamento atrasado, e também ficou detido.

INVESTIGAÇÕES

Agora, o delegado pretende fazer um levantamento das últimas ocorrências registradas em Laguna com o uso de notas falsas. “A partir desses inquéritos, vou tentar verificar se houve a participação dessas pessoas em casos já registrados. Conversaremos com as vítimas para ver se elas reconhecem os indivíduos”, contou.

Prefeitura de Tubarão e HNSC celebram convênio
Eleições 2018: Partidos iniciam convenções