Escola Sem Partido: projeto é debatido em audiência
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 12-08-2017

O projeto de lei 23/2017, que institui o Escola Sem Partido em Tubarão, foi debatido em audiência pública na Arena Multiuso, nesta sexta-feira. 

O debate contou com a participação de professores e comunidade escolar e ocorreram exposições representando as opiniões contrárias e favoráveis ao projeto.

O projeto de lei foi proposto pelo vereador Lucas Esmeraldino. Os expositores favoráveis ao Escola Sem Partido foram o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o advogado Miguel Nagib, a psicóloga Marisa Lobo e a professora Ana Caroline Campagnolo.

“O projeto é mais simples do que se fala. É importante ressaltar que não há previsão de crime e também não estamos criando deveres, pois estes já estão na Constituição”, declarou Bolsonaro, um dos ferrenhos defensores.

Falaram contra a implantação os professores doutores Fernando de Araújo Penna (UFF) e Rosângela Pedralli (UFSC) e os professores mestres Vinicius Valença Ribeiro (IFC), Samuel Martins dos Santos (Cesusc) e Marciel Evangelista Catâneo (Unisul). 

Os defensores contrários questionam a própria necessidade do projeto de lei, já que ele aborda questões que já estão na Constituição e que já são cumpridos pelos professores. Além disso, salientam que existem questões de religião e gênero incluídas no projeto.



Veja Também
Argel chega ao Criciúma confiante com o grupo
Estagiária salva mulher atacada por abelhas

A estagiária Nayara Torres Tramontin, lotada no cartório da 2ª Vara Cível da comarca de Tubarão, praticou um ato de heroísmo na tarde de quinta-feira após salvar uma mulher que sofria um ataque de abelhas na área no entorno do Fórum da cidade. A vítima levava a sobrinha para a escola, em um carrinho de bebê, quando a movimentação de trabalhadores que limpavam um terreno baldio, nas proximidades, alvoroçou uma colmeia. Os insetos, em enxame, passaram a atacar as pessoas.

Um dos operários conseguiu tirar a criança do carrinho e trancou-se com ela na cabine do caminhão que utilizavam. A mulher não teve a mesma sorte e sofria o ataque das abelhas quando a estagiária correu até ela e conseguiu trazê-la para o interior do Fórum. Lá, outro servidor, com curso de primeiros socorros, prestou atendimento até que o Samu fosse acionado.

A mulher levou em torno de 30 picadas na cabeça e nos braços e precisou ser levada para um tratamento especializado em um hospital da região. Ficou o restante do dia em observação, foi medicada e, posteriormente, liberada.

Carreta Cinema estará em Laguna
Peixe e Leão duelam neste domingo