Atleta de Tubarão busca vaga em mundial
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 20-04-2017

A atleta Karolina Teixeira Bernardes, de Tubarão, vai participar de uma seletiva nacional para tentar uma vaga no mundial escolar que ocorre na França. Ela foi convocada pela Federação Catarinense de Atletismo e será uma das 12 atletas que vão tentar carimbar o passaporte para a disputa.

A seletiva será realizada no dia 28 deste mês, em Porto Alegre (RS). A tubaronense vai competir na prova de 400 metros rasos.

Revelada nos Jogos Escolares de Tubarão (Jetuba) em 2013, Karolina tem acumulado conquistas desde então. Em 2015, por conta de seu destaque no esporte, recebeu o Prêmio Salim Mussi Miguel, e com os índices alcançados nos Jogos Escolares de Santa Catarina participou, no ano passado, dos Jogos Escolares da Juventude, realizados em João Pessoa, na Paraíba.

“Para nós, é uma alegria imensa ver nossos atletas aproveitarem as oportunidades que lhes são dadas, e não mediremos esforços para que ela consiga alcançar o índice e representar o Brasil em uma competição internacional”, comemora o técnico Marcos Paulo Huber, da Associação Desportiva Recreativa Atletismo (Adra).

Com a missão de revelar talentos, a Adra tem crescido nos últimos anos, atuando em parceira com a Fundação Municipal de Esportes (FME).



Veja Também
Aulas gratuitas de Ioga em Laguna
Reunião discute construções na Galheta

Acontece amanhã, às 13h30, na Câmara de Vereadores de Laguna, a audiência pública que busca analisar a situação de pelo menos 140 casas que foram construídas na Praia da Galheta. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), elas estão em uma área da União e também estariam ligadas a crimes ambientais.

O MPF entrou com uma ação na Justiça de Laguna pedindo a demolição dessas casas há cerca de seis anos. Agora, o Sistema de Conciliação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, promove a audiência para avaliar melhor a questão e ouvir a comunidade. 

Representantes da Justiça Federal, Fundação de Meio ambiente (Fatma), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Programa Estadual de Gerenciamento Costeiro, pesquisadores, Ongs, secretários municipais e comunidade em geral estão convidados para participar do debate.

De acordo com a comunidade, as primeiras casas eram barracos e surgiram na década de 1970. Com o passar dos anos, outras construções foram sendo erguidas, residências de madeira e alvenaria. Hoje, são 140 residências. A Praia da Galheta está localizada ao Sul de Laguna, na região do Farol de Santa Marta.

Carateca de Braço do Norte é ouro em Mundial
Estadual: Tubarão Futsal em busca da liderança