Área Azul ainda está em estudo pela PMT
Matéria via Diário do Sul / Postado dia 20-04-2017

Desde que foi cancelada a assinatura do contrato com a empresa que iria gerir o sistema rotativo em Tubarão, no dia 4 de abril, a prefeitura tem avaliado as melhores formas de resolver o problema. Um posicionamento, no entanto, só será dado em maio, quando vence o prazo de 30 dias.

De acordo com o vice-prefeito e secretário de Gestão, Caio Tokarski, desde que foi anunciada a suspensão a administração municipal tem buscado a melhor solução para a Área Azul.

“Estamos trabalhando incansavelmente na elaboração da licitação. Quando vencer o prazo de 30 dias, desde a suspensão da assinatura, o prefeito irá anunciar a decisão, ou seja, se iremos licitar ou apresentar alguma outra opção”, afirma.

No dia 4 deste mês, a prefeitura voltou atrás na decisão de contratar uma empresa para gerir o estacionamento rotativo da cidade com dispensa de licitação e adiou o processo. O cancelamento da assinatura do contrato foi anunciado durante o evento que celebraria o acordo, na sede da Amurel, causando surpresa.

O questionamento da legalidade jurídica da dispensa de licitação para este caso foi o principal motivo para o adiamento, já que o contrato de serviço sem processo licitatório só é possível em casos de urgência.

A justificativa de “urgência” para a gestão do estacionamento rotativo foi contestada publicamente por membros do Observatório Social da cidade e de outras entidades representativas. O colunista do DS Milton Alves expôs os riscos da contratação sem licitação.

Na ocasião, representantes da Gold Park Estacionamento, empresa de Joinville que seria contratada, chegaram a falar sobre o modelo que seria implantado em Tubarão antes de o prefeito anunciar o cancelamento do negócio.



Veja Também
Alternativas para o Paço são pensadas
Tubarão busca primeira vitória na Liga Futsal
Suspeitos de roubo de carros de luxo são presos

Uma quadrilha suspeita de estar envolvida em roubo de caminhonetes de luxo em cidades da região Sul, entre elas Tubarão, foi presa ontem. 

A prisão aconteceu em Criciúma, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC). Ao todo, quatro pessoas foram presas durante operação. 

Conforme o delegado responsável pelo caso, Yuri Miqueluzzi, o quarteto, que faz psrte do grupo especializado em roubos de caminhonetes de luxo, vinha sendo investigado desde novembro do ano passado. A prisão aconteceu na manhã de ontem, quando foram cumpridas uma dezena de buscas em diversos bairros, em ação conjunta das Divisões de Roubos e de Homicídios.

Ao todo, mais de 50 policiais civis da região Sul participaram da operação policial. A região de Criciúma e seu entorno vinham sendo alvos reiterados de roubos de caminhonetes e outros veículos de luxo. Segundo o delegado, o grupo vinha atuando com planejamento e organização, com uso de armas de fogo e veículos de apoio.

Em razão das buscas, outros materiais foram apreendidos para auxiliar nas investigações. “Com as prisões e posterior encerramento das investigações, há uma tendência de diminuição destes delitos”, informa o delegado, e completa que não foi possível ainda precisar quantos roubos aconteceram em Tubarão.

Artilheiro Magno Alves é apresentado