Área Azul: falta de monitores é a maior reclamação
Matéria via DS / Postado dia 11-06-2019

Há um mês em funcionamento de forma efetiva, a Área Azul ainda gera reclamações por parte dos usuários. A maioria delas continua sendo a dificuldade em encontrar monitores para a compra de créditos do estacionamento, e também a dificuldade de saber onde ficam os pontos de venda.

De acordo com o vendedor Miguel Medeiros, ontem ele precisou estacionar e esperou algum tempo para encontrar um monitor, que não apareceu. “Como estava com pressa, estacionei o carro para fazer o que precisava. Quando voltei, tinha uma notificação. Continuei esperando para ver se o monitor aparecia, e, novamente, nada. Não consegui regularizar minha notificação, e também não sei onde encontrar um ponto de venda para isso, porque não havia nada escrito a respeito dos locais”, conta.

A aposentada Maria de Souza também reclama da falta de monitores. “Eu até tenho isenção do pagamento pela minha idade, mas como nem sempre estaciono na vaga de idosos, por preferir, às vezes, um local mais próximo de onde preciso ir, procuro alguém para comprar os créditos e não encontro. Quando a gente vem fazer algo no Centro, geralmente estamos sem tempo livre para ficar esperando até que alguém apareça. O sistema pode ser mais ágil”, avalia.

De acordo com a Apae, responsável por gerenciar a Área Azul, todas as reclamações estão sendo analisadas. “É possível fazer a regularização não apenas com o monitor, mas também através do aplicativo ou nos pontos de venda e também na sede, localizada no antigo Clube 29 de Junho, próximo ao Banco do Brasil do Centro. Além disso, estamos providenciando adesivos e bonecos indicadores dos pontos de venda para que o usuário os encontre mais facilmente”, explica a assessoria.

 

Problemas no aplicativo

Outro problema que muitos estão encontrando é com o aplicativo. O estudante Guilherme Teixeira diz que tenta utilizar desde que foi implantado, mas até agora não conseguiu. “Algumas vezes, não mostra o valor; em outras, não aceita o pagamento”, conta. A Apae diz que vem constantemente analisando o aplicativo para melhorar o sistema.



Veja Também
Sequestrador estava em surto psicótico e ameaçou incendiar o ônibus
Justiça condena Haddad a 4 anos e 6 meses em semiaberto por caixa dois da UTC
Posto de Combustíveis em Tubarão é invadido por assaltantes
Sequestrador de ônibus no Rio é morto por atiradores de elite