TODAS AS NOTÍCIAS
Futsal: Tubarão busca vitória em casa
Tubarão disputará a Copa São Paulo
Entrevista: protagonismo aliado ao trabalho
História de vida em 50 anos de jornalismo de Arilton Barreiros
Empregos: dez cidades fecham setembro positivo
Contação de história para 90 professores

Cerca de 90 professores de escolas da Amurel participaram do curso de Contação de Histórias, no Museu Willy Zumblick.

Dois grupos, com 45 docentes em cada, participaram do curso, que foi ministrado pela orientadora educacional Adriana Medeiros, que atua como contadora de histórias, e utiliza o nome fictício de Verdolina.

PMs participam de instrução em Tubarão
Especial: Braço do Norte comemora 62 anos
Emoção marca sessão solene a Cau Cancelier
Jovem morre atropelado em frente à própria casa

Uma fatalidade tirou a vida de um jovem de apenas 28 anos no início da tarde de sexta-feira. Luiz Ricardo Bonifácio da Silva morreu após ser atropelado por um veículo. O acidente foi registrado na rodovia SC-440, que liga Tubarão a Pedras Grandes. O morador atravessava a via quando foi atingido.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PMRv) de Gravatal, o pedestre estava em frente à sua residência quando atravessou a via. As informações da polícia, repassadas por vizinhos, foram de que o jovem cruzou a rua de repente, sem olhar para os lados. Assim, acabou sendo atingido por um veículo Fiat Pálio, com placas de Pedras Grandes.

Com o choque, Luiz Ricardo foi arremessado e não resistiu aos ferimentos. O Corpo de Bombeiros foi acionado, porém, ao chegar ao endereço, constatou que o jovem estava sem os sinais vitais. O corpo do morador de Tubarão foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) da Cidade Azul.

A PMRv destaca que o motorista do veículo prestou todo atendimento à vítima. “Pedimos aos pedestres que tenham atenção no momento de atravessar uma via. Que a travessia seja feita apenas quando a sinalização for indicativa, ou, caso não haja semáforo, que se garanta que não há circulação de veículos”, alerta um policial.

Governador rotariano visita Tubarão
Assaltos a casas geram preocupação

Moradores de Tubarão estão preocupados com assaltos a casas. Há uma semana, um casal foi alvo de um roubo violento. O caso é o 14º da lista de roubos à pessoa em residência este ano e o segundo somente nos primeiros 20 dias deste mês, na Cidade Azul, segundo dados do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM).

Adriana Freitas de Don Braga e seu marido Danilo de Don Braga foram umas das vítimas. No feriado do dia 12, ambos chegavam à sua casa, no bairro Vila Moema, quando foram surpreendidos por dois assaltantes. “Ainda me lembro da maneira como eles nos trataram. Estavam dispostos a tudo. Não tenho dúvidas”, desabafa Adriana.

“Estávamos vindo do hospital. Nem sei de onde surgiram (os assaltantes). Quando vi, eles apontaram a arma para a cabeça do meu marido. Temi por nós”, diz a tubaronense que, através da redes sociais, postou um relato buscando alertar os demais tubaronenses para que fiquem atentos à ação de criminosos.

Os ladrões até o momento não foram identificados. Da casa do casal foram levados dinheiro e joias, não recuperadas. Já a motocicleta, também roubada, foi encontrada no outro dia. “Infelizmente, fomos mais um alvo. Por isso, peço que nosso caso sirva de alerta. Tubarão tem crescido e, com a cidade, este tipo de crime. Agradeço à polícia, que agiu rápido. Mas ninguém está escape”, diz a moradora.


PM alerta para cuidados

De acordo com o major Dante da Costa Chierighini, que responde pelo comando do 5º BPM, as guarnições têm trabalhado na identificação dos suspeitos. “Esse caso, registrado no bairro Vila Moema, chamou a atenção. No entanto, destaca-se que não se vive uma onda de insegurança. As ocorrências dessa natureza têm se mantido no padrão”, informa o major.

Chierighini destaca que os suspeitos, tanto em crime de roubo a casa quanto em estabelecimentos comerciais, que têm apresentado no último mês uma crescente, são, em sua grande maioria, reincidentes. Em situações de assalto e roubo, o major orienta que alguns cuidados devem ser observados.

“Nunca reaja. O assaltante está sob forte estresse e disposto a tudo. Dê tudo o que ele solicitar e, assim que sair, chame a polícia imediatamente, para que possa agir”, orienta o major.  Outra situação, segundo o major, é o cuidado ao chegar em casa. “Prestar a atenção ao seu redor. Não entre em casa se desconfiou de alguma coisa. Dê a volta. Perde-se tempo, mas se ganha segurança. Qualquer situação, acione a polícia”, informa Chierighini.